Sinproesemma denuncia Governo do Estado por quebra de acordo homologado na Justiça

O Sinproesemma vem a público repudiar e cobrar do governo do Estado o cumprimento do acordo homologado na Justiça no mês de março no qual o governo do Maranhão se comprometeu em pagar as progressões e titulações dos trabalhadores em educação no mês de junho.

Assinado perante o Ministério Público, representado pelos promotores de Justiça Lindonjonson Gonçalves e Paulo Avelar e homologado pelo Tribunal de Justiça do Maranhão, ao não cumprir o pacto, o governo do Estado desrespeita os professores, o Sinproesemma, o TJ/MA e o próprio Ministério Público, onde foi intermediado o acordo.

O Governador Carlos Brandão alardeia nos discursos políticos priorizar a educação pública no Maranhão, mas na prática segue desvalorizando os trabalhadores em educação que são os principais atores desse processo, quando não concede o percentual de reajuste correto previsto pelo MEC para 2023 e quando manobra contra os educadores na justiça para decretar a ilegalidade do movimento legítimo de reivindicação de melhorias na educação pública e valorização dos trabalhadores.

Diante de todas as incoerências e desrespeito do Governo do Estado do Maranhão perante a categoria dos Trabalhadores em Educação, o Sinproesemma está comunicando o Ministério Público e executando o Governo do Maranhão por não cumprir os prazos já previamente acordados.