Sinproesemma convoca categoria para mobilização

A diretoria executiva do Sinproesemma esteve reunida nesta segunda-feira para avaliar e propor novas ações em relação à Campanha Salarial 2019.

A medida foi tomada mediante a postura do Governo do Estado que até agora não iniciou a mesa de negociação, apesar das inúmeras tentativas de diálogo por parte da entidade sindical.

Para o presidente do Sinproesemma, Raimundo Oliveira, chegou um ponto onde é necessária uma ação mais enérgica do Sindicato, tendo em vista que a categoria dos Trabalhadores em Educação anseia por respostas.

“Temos consciência da nossa responsabilidade como o maior sindicato do Estado do Maranhão e a categoria quer respostas. Já está mais do que na hora do início da mobilização para lutar pelos direitos dos Trabalhadores em Educação, com maturidade e discernimento para não perder o foco”, afirmou Oliveira.

Campanha Salarial

A campanha Salarial 2109 foi lançada em janeiro, após confirmação do índice de reajuste pelo MEC de 4,17% e está elencada em 28 itens que foram elaborados a partir de assembleias regionais com a categoria.

A pauta de reivindicação foi protocolada ainda no mês de fevereiro no Governo do Estado, e a partir daí, o Sinproesemma buscou várias formas de diálogo, através de envio de ofícios, na tentativa de audiência com o governador e presidente da Assembleia Legislativa, mas até agora nenhuma resposta positiva.

“Estamos no momento crucial da nossa luta e precisamos dar retorno aos nossos pares. Vamos construir os encaminhamentos e iniciar as mobilizações, tendo sempre em mente o papel da instituição e da luta dos Trabalhadores em Educação”, disse o professor Amarildo Silveira.

Cenário atual

Mesmo com os problemas financeiros que o país se encontra e a tentativa de desconstrução do sindicalismo brasileiro, para a secretária de assuntos educacionais, Janice Neri é possível cogitar avanços para a categoria.

A diretora mostra pelo menos quatro fatores que podem servir de estímulo para o reajuste: o aumento da verba para a educação, ajustes do governo do Estado, aumento de receita do ICMS e valor rebaixado do reajuste sinalizado pelo MEC, com percentual de 4,17%.

“Temos que sair da margem e dar um passo a frente. O sentimento da diretoria do Sinproesemma é de buscar uma reação em relação ao Governo do Estado”, enfatizou Janice.  

Encaminhamentos

 

Após intensos debates a diretoria executiva deliberou pelo início do processo de mobilização da categoria, na tentativa de iniciar o diálogo com o Governo do Estado. Foi estipulado o prazo até o final do mês de março, com indicação de paralisação no dia 03 de abril em todo o Estado, caso o processo de negociação não seja iniciado.

A mobilização vai começar no dia 22 de março, com a paralisação contra a Reforma da Previdência e pelos direitos dos Educadores que acontece na porta da Agência do INSS, na Avenida Alexandre de Moura, em frente ao Parque do Bom Menino, às 08h.

ESPAÇO DO ASSOCIADO

Pular para o conteúdo