Nota de repúdio às declarações de Bolsonaro contra Paulo Freire

O Sinproesemma vem a público manifestar total repúdio às declarações de Jair Messias Bolsonaro em relação ao Educador, Patrono da Educação Brasileira, Paulo Freire.

Nesta segunda-feira, 16, em mais um ato insano, Bolsonaro atacou covardemente o educador Paulo Freire, chamando-o de “energúmeno” e “ídolo da esquerda” ao anunciar que não irá renovar o contrato da TV Escola.

Nordestino, de Pernambuco, Paulo Freire é um dos mais importantes educadores do mundo, onde recebeu inúmeros prêmios, pelo menos 35 títulos de Doutor Honoris Causa, e o único brasileiro a aparecer na lista dos 100 livros mais requisitados de leitura exigida pelas universidades de língua inglesa.

Em outro ataque a educação e a Paulo Freire, foi proposto em 2017, a retirada do nome do educador do título de Patrono da Educação Brasileira, proposta que causou grandes manifestações e acabou sendo rejeitada pelo Senado Federal.

Essa tem sido a lógica do atual Governo Federal que escolheu a educação como um dos seus principais inimigos, onde acusaram as instituições escolares de serem “aparelhos dominados pelo marxismo cultural”. Foram vários os ataques como a tentativa da implantação do “Escola sem Partido”, cortes no financiamento da educação, atingindo a universidade, a pesquisa e a extensão, a privatização da educação pública e a própria escolha dos ministros mostrar o fracasso que é a política educacional desse governo que leva adiante sua agenda capitalista e conservadora.

“Estamos presenciando a cada dia os ataques à educação promovido pelo Governo Federal, um governo que não coloca a educação como prioridade. Dessa forma, com diz o próprio Paulo Freire ‘é essencial para os próprios oprimidos participar do processo revolucionário com uma consciência cada vez mais crítica de seu papel com sujeitos de transformação’”, pontuou Raimundo Oliveira, presidente do Sinproesemma.

ESPAÇO DO ASSOCIADO

Pular para o conteúdo